Categorias
Instrumentos de Avaliação TEA

Um Estudo Clínico Internacional sobre a Funcionalidade no Transtorno do Espectro do Autismo – Concluída.

Um Estudo Clínico Internacional sobre a Funcionalidade no Transtorno do Espectro do Autismo usando a estrutura do World Health Organization – International Classification of Functioning (WHO-ICF).

 

Os resultados reforçam a heterogeneidade na apresentação do autismo, como evidenciado em diversos domínios funcionais e ambientais que impactam o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) do ponto de vista clínico.

Referência:

Mahdi, S., Albertowski, K., Almodayfer, O., Arsenopoulou, V., & Carucci, S. (2018). An International Clinical Study of Ability and Disability in Autism Spectrum Disorder Using the WHO-ICF Framework. Journal of Autism and Developmental Disorders, 48(6), 2148–2163. https://doi.org/10.1007/s10803-018-3482-4

Resumo:

This is the fourth international preparatory study designed to develop International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF, and Children and Youth version, ICF-CY) Core Sets for Autism Spectrum Disorder (ASD). Examine functioning of individuals diagnosed with ASD as documented by the ICF-CY in a variety of clinical settings. A cross-sectional study was conducted, involving 11 units from 10 countries. Clinical investigators assessed functioning of 122 individuals with ASD using the ICF-CY checklist. In total, 139 ICF-CY categories were identified: 64 activities and participation, 40 body functions and 35 environmental factors. The study results reinforce the heterogeneity of ASD, as evidenced by the many functional and contextual domains impacting on ASD from a clinical perspective.

Keywords ASD · Neurodevelopmental disorder · Functioning · Assessment · ICD · DSM · Clinical study

Categorias
Instrumentos de Avaliação TEA

Instrumento para rastreamento dos casos de Transtornos do Espectro do Autismo – Concluída

Os objetivos deste estudo foram a tradução retro-versão, adaptação cultural e validação do Autism Screening Questionnaire para a língua portuguesa e para o seu uso no Brasil.

A versão final do instrumento de pesquisa apresentou propriedades de medidas satisfatórias, sugerindo adequadas características preliminares de validação. É um instrumento de fácil aplicação e uma ferramenta útil para a realização de rastreamento no diagnóstico em indivíduos com Transtorno do Espectro do Autismo.

Referência:

SATO, F. P., PAULA, C. S., LOWENTHAL, R., NAKANO, E. Y., BRUNONI, D., SCHWARTZMAN, J. S., & MERCADANTE, M. T. (2009). Instrument to screen cases of pervasive developmental disorder – a preliminary indication of validity. Revista Brasileira de Psiquiatria (São Paulo. 1999. Impresso)., v.31, p.30 – 33, 2009.

Resumo:

Objetivos: Tradução, retro-versão, adaptação cultural e validação do Autism Screening Questionnaire para a língua portuguesa e para o seu uso no Brasil. Método: Foi selecionada uma amostra inicial de 120 pacientes, encaminhados de duas clínicas privadas e uma pública, dividida em três grupos de 40 pacientes distintos: pacientes com diagnóstico clínico de Transtorno do Espectro do Autismo; de síndrome de Down e de outros transtornos psiquiátricos. O questionário foi aplicado aos responsáveis legais dos pacientes seguindo os padrões de um questionário autoaplicável. As medidas psicométricas do questionário traduzido, na sua versão final, foram testadas.

Resultados: Valores de sensibilidade de 92,5% e especificidade de 95,5% foram encontrados para uma pontuação de 15, como sendo um valor discriminativo para os sujeitos com características de transtornos globais do desenvolvimento/transtornos invasivos do desenvolvimento. A validade interna para o total das 40 questões foi de 0,895, com uma variação entre 0,6 a 0,8. Os valores de confiabilidade obtidos pelo teste e reteste demonstraram que a maioria das questões obteve alta concordância.

Conclusões: A versão final do instrumento de pesquisa, traduzido e adaptado à cultura brasileira, apresentou propriedades de medida satisfatórias, sugerindo adequadas propriedades preliminares de validação. É um instrumento de fácil aplicação e uma ferramenta útil para a realização de um screening diagnóstico em indivíduos com Transtorno do Espectro do Autismo.

Descritores: Transtornos globais do desenvolvimento; Transtorno autístico; Estudos de validação; Questionários; Diagnóstico clínico.

Categorias
Instrumentos de Avaliação TEA

Tradução e Validação da Autism Diagnostic Observation Schedule (ADOS) para Português do Brasil – Concluída

Evidências preliminares do processo de validação da Autism Diagnostic Observation Schedule (ADOS): tradução, adaptação transcultural e equivalência semântica para a versão em português do Brasil

Referências:

PACÍFICO MC, DE PAULA CS, NAMUR VS, LOWENTHAL R, BOSA CA, TEIXEIRA MCTV. Preliminary evidence of the validity process of the Autism Diagnostic Observation Schedule (ADOS): translation, cross-cultural adaptation and semantic equivalence of the Brazilian Portuguese version. Trends PsychiatryPsychother. 2019;41(3):218-226. http://dx.doi.org/10.1590/2237-6089-2018-0063

Resumo:

Objetivos: Traduzir e retro traduzir a Autism Diagnostic Observation Schedule (ADOS) para a língua portuguesa do Brasil, verificar sua equivalência semântica transcultural e verificar indicadores de qualidade da versão final analisando a confiabilidade Inter- avaliadores na pontuação da ADOS.

Métodos: O estudo teve três etapas: 1) tradução e retro tradução; 2) análise de equivalência semântica; e 3) pré-teste para verificar a concordância entre especialistas em saúde mental e um examinador sênior em relação ao procedimento de pontuação.

A realização do estudo foi feita com a autorização da Western Psychological Services, distribuidor oficial do instrumento.

Resultados: Os principais resultados preliminares indicaram uma boa equivalência entre a versão original em inglês e a versão brasileira após o processo de adaptação cultural. Algumas diferenças semânticas foram encontradas entre a versão original e a retro tradução, mas que não interferiram na primeira tradução para o português nem na versão final. Uma das limitações do estudo foi o tamanho amostral pequeno; em razão disso, a confiabilidade interavaliadores entre as pontuações da ADOS dadas pelos especialistas e pelo examinador sênior utilizando o coeficiente kappa foi adequada para 7 das 10 áreas.

Conclusão: Conclui-se que, com a versão brasileira da ADOS, oficializa-se uma versão única da escala em português, fortalecendo os campos clínicos e científicos de pesquisa em TEA e impedindo que no país sejam utilizadas outras versões não autorizadas da ADOS.

Descritores: Transtorno do espectro autista, Autism Diagnostic

Observation Schedule, tradução, adaptação cultural.

Categorias
Instrumentos de Avaliação TEA

Identificando o autismo com um instrumento de rastreio de baixo custo – OERA

Ferramentas de observação simples e de baixo custo para detectar sintomas de Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) ainda são necessárias. O OERA é uma nova ferramenta de avaliação para avaliar crianças que evocam comportamentos observáveis ​​sem ser necessário que o aplicador tenha conhecimento substancial sobre o TEA.

Tal modelo apresentou excelentes índices de ajuste avaliados por meio de análise fatorial confirmatória e nenhum item apresentou função diferencial em termos de idade / sexo / QI. Um corte de cinco pontos ou mais resultou nos maiores percentuais de sensibilidade (92,75) e especificidade (90,91). OERA é uma triagem observacional padronizada, breve, estável e de baixo custo para identificar crianças com TEA.

Referências:

Paula, C.S., Cunha, G.R., Bordini, D. et al. Identifying Autism with a Brief and Low-Cost Screening Instrument—OERA: Construct Validity, Invariance Testing, and Agreement Between Judges. J Autism Dev Disord 48, 1780–1791 (2018). https://doi.org/10.1007/s10803-017-3440-6

PDF do artIgo completo:

Solicitar: https://www.springer.com/journal/10803

Resumo:

Simple and low-cost observational-tools to detect symptoms of Autism Spectrum Disorder (ASD) are still necessary. The OERA is a new assessment tool to screen children eliciting observable behaviors with no substantial knowledge on ASD required. The sample was 99 children aged 3–10: 76 with ASD and 23 without ASD (11/23 had intellectual disability). The 13 remained items exhibited high interrater agreement and high reliability loaded onto a single latent trait. Such model showed excellent fit indices evaluated via confirmatory factor analysis and no item showed differential function in terms of age/sex/IQ. A cutoff of five points or higher resulted in the highest sensitivity (92.75) and specificity (90.91) percentages. OERA is a brief, stable, low-cost standardized observational-screening to identify ASD children.

plugins premium WordPress